Fabio Seixas, versão txt
Cadastre-se aqui!
dezembro 28, 2006, 9:07 PM por Fabio Seixas

Comprei um ingresso de cinema pela internet hoje. As pessoas estão cada vez mais utilizando a internet para facilitar suas vidas. Comprar ingressos de cinema pela net significa ganhar tempo de lazer para fazer exatamente isso, lazer, ao invés de perder um bom tempo na fila.

Utilizei o Ingresso.com, empresa do Submarino. Me expliquem, por favor, qual o sentido de pedirem dados como nome da mãe, identidade, endereço completo, sexo, telefone, data de nascimento para a compra de um ingresso de cinema que por sinal, não chega pelo correio e sim pela sua própria impressora?

Para que obrigar o usuário a fornecer dados desnecessários se quando ele compra o ingresso na bilheteria ele não fornece nem o nome dele? As informações solicitadas não agregam em nada na experiência do usuário. Para que raios eles querem saber o nome da minhã mãe?!?

Fica claro que a intenção é fazer cadastro. Mas fazer cadastro para que? Para levantamento estatístico e demográfico? Você não precisa pedir essas informações de todos os clientes para ter um levantamento estatístico. Para vender para terceiros? Provável, mas muito ruim para a estratégia de presença online (alguém discorda?).

Confesso que por muito pouco não deixei de comprar o ingresso. Se não estivesse tão em cima da hora da sessão iria preferir enfrentar a fila. Criar situações que forçam o usuário a fornecer informações que ele não precisa fornecer só contribui para uma péssima experiência do usuário.

Poir que isso foi o dia em que entrei no site da revista PEGN e para ler uma matéria era preciso se cadastrar. Até ai tudo bem. Duro foi perceber que o cadastro todo só me rendeu um pequeno resumo da matéria. Ou seja, destruiram a experiência do usuário.






Adicionar à: del.icio.us | Rec6 | My Yahoo 2.0
permalink | comentários (11) | trackback (0)
Link para este post:



Críticas construtivas #2 - Wasabi.com.br
fevereiro 3, 2006, 8:00 AM por Fabio Seixas

Wow! Que boa notícia recebi em meu email hoje pela manhã. Fui convidado pelo Cris Dias e pelo Mauro Amaral para participar do Wasabi.com.br. A princípio não entendi nada, pois afinal o email só falava que tinha sido convidado e nada mais. Como foram 2 sujeitos que respeito muito que mandaram o convite, resolvi me cadastrar.

Wasabi.com.br é um o primeiro agregador de Feeds brasileiro. E além disso tem uma modelagem de rede social. É simples. Você cadastra os seus feeds (blog, flickr, podcast e del.ici.us) e começar a montar a sua rede de amigos, assim como o Orkut. Por enquando só pode se cadastrar quem é convidado.

Minhas primeiras impressões foram muito possitivas, principalemnte por se tratar de um site totalmente web 2.0 (feito em Ruby on Rails, com um bocado de ajax e com conteúdo social altamente integrado). Mas não pude deixar de observar alguns pontos fracos. Como o objetivo da séria "Críticas construtivas" é ajudar, então nada melhor para quem está começando.

Crítiva #1 - Cadastro
O cadastro é bem simples, o que é um ponto a favor, mas tive dificuldade em me cadastrar. Primeiro preenchi o formulário e enviei os dados. Nesse ponto não pediram meu email. No passo seguinte, eles me pediram meu email e minha senha. Deduzi que eles sabiam meu email por causa do convite. Ilusão minha. Não funcionava. Foi como se não tivesse me cadastrado.
Sugestão: Teste antes de lançar. Desenvolva um período de beta teste entre usuários críticos antes do lançamento oficial. Eu mesmo teria um enorme prazer em ser um dos beta tester. Mas a essa altura o melhor seja simplesmente consertar.

Crítica #2 - Ajax: Quase ideal
Só pelo fato do site usar Ajax em quase tudo, já é um ponto a favor, mas algumas questões da implementação deixaram a desejar.
<Papo meio técnico>
As chamadas javascript são todas feitas com tags <a href="#">. O problema disso é que se você rolar a página e lá no final clicar em algo que faça uma chamada javascript, a páginaq vai para o topo, o que é literalmente um saco principalmente em páginas com muito conteúdo porque você tem que rolar a página novamente para achar o conteúdo que estava lendo.
Sugestão: Utilize <a href="javascript:void(0);">
</Papo meio técnico>

Crítica #3 - Cadê o blog?
Como um site tão web 2.0 como esse não tem um blog? Nâo deu para descobrir quem está por traz disso, nem como o proejto nasceu, etc, etc.
Sugestão: Um Blog é a melhor forma de se relacionar com seus usuários, ainda mais usuários blogueiros. Então crie um blog agora! :)

Crítica #4 - Limite de feeds
Achei que o limite de 4 feeds (blog, flickr, podcast e del.ici.us) muito pouco. Eu mesmo escrevo dois blogs (versão txt e Camiseteria Blog) e gostaria de colocar os 2 feeds lá.
Sugestão: Aumentar o limite de feeds. Simples assim.

Crítica #5 - Perfil e rede
Senti falta de uma página com algo sobre o perfil dos meus amigos conectados. Algo simples, assim como o Camiseteria faz. Além disso, falta uma feature de ver os amigos dos amigos. Isso popularizaria muito mais os blogs e feed nacionais.
Sugestão: Desenvolver ferramentas melhores de relacionamento em rede.


Morde e depois assopra
A iniciativa é excelente. Ainda não consegui descobrir quem está por trás para parabenizar. Comprei a idéia e já estou divulgando para amigos. Muito bem implementado em termos de visual e de estrutura. Moderno na utilização de Ruby on Rails e Ajax. Pode ser o início de novas iniciativas para desenvolver a blogosfera brasileira.

Nota para os criadores: Quem são vocês?! Como pretendem ganhar dinheiro com isso?

UPDATE (04/02/06): Segundo Danilo Medeiros, o criador do Wasabi, o site não foi feito em Ruby, mas em Java. E o site também se encontra em versão beta, apesar de que pra quem não conhece o site, nada informa que ele está em beta. Além disso, a parte de navegação nos amigos dos amigos já foi implementada! Bem legal ver que eles estão trabalhando no produto! Parabéns mais uma vez.





Adicionar à: del.icio.us | Rec6 | My Yahoo 2.0
permalink | comentários (9) | trackback (1)
Link para este post:



Críticas construtivas #1 - Blogs.com.br
fevereiro 2, 2006, 7:16 PM por Fabio Seixas

Resolvi iniciar uma séria de posts sobre alguns sites que vou encontrando por ai e que merecem alguma crítica construtiva. Minha intenção será somente ajudar dando um pouco da minha visão crítica sobra a sua atuação na web.

O primeiro que vou falar é o Blogs.com.br. Resolvi escrever sobre ele porque ele é uma grande iniciativa para desenvolver a blogosfera brasileira. É talvez o maior diretório de blogs nacionais que temos disponível. Ontem mesmo parei para cadastrar meu blog lá e fiquei desapontado com algumas coisas.

Crítica construtiva #1: Blog desatualizado
O Blogs.com.br é o reflexo da blogosfera brasileira, logo, nada mais natural que seus criadores sejam blogueiros. No momento de criação desse texto, o último post do Blog dos Blogs é datado de 15/12/2005. Erro básico. Blog bom é blog atualizado com frequência. Tudo bem. Muitas vezes eu mesmo fico umas semaninhas sem postar. Todo mundo peca de vez em quando, mas em se tratando de um site sobre blogs, esse pecado tem o dobro do peso.
Sugestão: Atualize com frequencia. Simples assim.

Crítica construtiva #2: Categorias
O Blogs.com.br é um diretório de blogs, ou seja, uma lista organizada de sites sobre diversos temas. A blogosfera, por natureza, é algo sem barreiras geográficas, no entando, tado a organização dos blogs cadastrados no site é feita por estado, como se fizesse diferença eu estar lendo um blog sobre marketing de São Paulo ou de Recife. O que importa num blog é o conteúdo, não a sua localização geográfica. Isso leva a outro problema. Não existe uma categoria por assunto que é, na verdade, a principal motivação quando se busca um blog sobre um determinado assunto.
Sugestão: No cadastro do blog, ao invés de pedir informações geográficas, peça para o usuário digitar palavras-chave (tags) sobre os assuntos discutidos no blog e crie uma nuvem (tag cloud) na home das tags mais populares e uma busca por blogs que tenham uma tag informada.

Crítica construtiva #3: Frames
Frames estão tão over hoje em dia. Frames são o infermo da usabilidade. No Blogs.com.br, quando você clica no link de um blog externo, ao invés do usuário cair direto no blog, ele cai numa página que tem um frame superior com um header do Blogs.com.br. Por que isso é um problema:
1- O usuário (leigo) não pode simplesmente copiar e colar a url do blog para divulgar para terceiros, atitude que é a base da multiplicação da blogosefra.
2- O frame impede que os browsers modernos detectem automaticamente os RSS Feed disponíveis no blog de destino. Outro fator que é impede a disseminação da blogosfera.
Sugestão: Suma com os frames!

Morde e depois assopra
Mas o Blogs.com.br tem coisas boas também. A lista de TOP 5 Referências é algo a ser valorizado, já que estimula a colocação do selo em vários blogs além de mostrar alguns blogs que são realmente populares. Eu só aumentaria a lista para 10 ou 20.

Nota para os criadores: Amigos, minha intenção é ajudar a melhorar cada vez mais a blogosfera brasileira. Vocês possuem um grande site com um grande conteúdo. Só precisam de alguns ajustes.





Adicionar à: del.icio.us | Rec6 | My Yahoo 2.0
permalink | comentários (3) | trackback (0)
Link para este post:





    Powered by Movable Type