Fabio Seixas, versão txt

« Homenagem para começar 2009 | Main | Startup brasileira é processada pelo Facebook »

JPG Magazine, a crise e a co-criação
janeiro 2, 2009, 11:01 PM por Fabio Seixas

A JPG Magazine dá o seu adeus.

A revista sobre fotografia da qual sou fã e que apostou no co-criação (crowdsourcing) como modelo editorial fecha as suas portas. A crise a pegou em cheio e ela não conseguiu sustentar seus compromissos.

No artigo onde anunciaram o fim da empresa, Laura Brunow fala que tentaram encontrar compradores para empresa ou novos investidores e ainda algumas alternativas criativas, sem sucesso.

Mas deixaram de lado uma opção natural para uma empresa que aposta na co-criação: pedir ajuda aos seus usuários. Não enviaram um email ou não montaram uma campanha de arrecadação de fundos, não tentaram a solução mais obvia.

Ao ler a notícia, meu primeiro questionamento foi se o que causou o fechamento foi a crise ou o modelo apoiado na co-criação, afinal eu mesmo tenho um negócio baseado em co-criação. Minha análise é de que o fechamento da JPG Magazine nada tem a ver com seu modelo de publicação editorial, mas sim em seu modelo de geração de receita, no caso publicidade, aliado ao péssimo momento da economia americana.

Mas o espírito criado pela revista continua. A Fray, uma empresa que aposta no mesmo modelo editorial está ai para mostrar a que veio. A única diferença é que a JPG Mag é uma revista sobre fotografia enquanto a Fray é focada em histórias.

Tomara que a JPG ache uma solução até segunda-feira, dia marcado para o site sair do ar. Até lá, aproveite para baixar as edições da revista em PDF.

UPDATE: A JPG Mag acabou de postar em seu blog que, depois do anúncio do fechamento da empresa, algumas partes estariam interessadas em comprar a empresa. Vamos torcer.




Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.



Adicionar à: del.icio.us | Rec6 | My Yahoo 2.0
permalink | comentários (3) | trackback (0)
Link para este post:


Trackback Pings

TrackBack URL para esse post:
http://www.fabioseixas.com.br/mt/mt-tb.cgi/527

Comentários

Fala Fábio, bem como como vc disse - a "falência" da JPG não tem nada haver com o seu modelo de publicação e editorial - mas sim com o seu "antiquado" método de geração de receita. Aliás, o próprio setor da publicidade em geral - principalmente as agências tradicionais - estão correndo um grande risco nesses tempos de crise, caso não utilizem a sua tão mencionada CRIATIVIDADE para mudar sua plataforma de receita (a mesma desde que Washington Oliveto começou a estagiar).

O primeiro passo para as empresas, seja lá qual for o setor, sair do aperto é mudar as táticas de monetização.

Fica a minha reflexão ;)

Abs,

Gabriel Jacob
www.adivertido.com
www.invertido.com.br

Postado por: Gabriel Jacob em janeiro 2, 2009 9:17 PM


Os problemas da JPG começaram algum tempo atrás, quando vários dos fotógrafos colaboradores resolveram fechar as suas contas, tudo por causa da confusão que resultou na saída dos criadores da revista original, o Derek Powazek e a sua esposa Heather Champ.

Desde então a credibilidade da revista caiu muito, e ela perdeu o apelo que tinha na comunidade. Acho que nem se tivessem pedido ajuda aos colaboradores haveria salvação!

Para saber mais sobre a saída do Derek é só ler esse post aqui http://powazek.com/posts/534

Postado por: Humberto Oliveira em janeiro 2, 2009 9:27 PM


Se for realmente fechar, vai ser impossível baixar todas as edições publicadas pela JPG Magazine até segunda. :D

Um pouco de humor para tirar essa possível tristeza.

Postado por: Tiago Celestino em janeiro 9, 2009 10:21 PM


Comente

Aviso legal:
-Não publico comentários anônimos. "josé", "júnior", "maria" e qualquer nome que não informe claramente quem está fazendo o comentário será considerado anônimo. Seja homem (ou se preferir, tenha peito) e assuma sua posição;

-Se quiser que seu comentário seja publicado, informe claramente algum site que o identifique. Pode ser blog, Twitter, Orkut, Facebook ou qualquer perfil na internet e que, por sua vez, também não seja anônimo;

-Não publico comentários desrespeitosos, com palavras de baixo calão, preconceituosos ou que firam qualquer lei desse país;

-Não publico comentários que aparentam ser meras propagandas ou link building;

-Eu publico críticas, desde que respeitem as regras acima.




Lembrar?

(você pode utilizar algum HTML)


Please enter the security code you see here


   Powered by Movable Type