Fabio Seixas, versão txt

« Orkut by Cuban Council | Main | Vídeos do I Encontro de Blogueiros do Rio de Janeiro »

O que o Camiseteria.com me ensinou sobre comunidades?
agosto 19, 2007, 2:28 AM por Fabio Seixas

Há 2 anos atrás o Camiseteria.com foi lançado. De lá para cá descobri o que é gerenciar uma grande comunidade online. E resolvi compartilhar isso com vocês.

Aprendi que não somos donos da comunidade, a comunidade é dona de si própria
A comunidade comanda mesmo sem poder comandar. O poder é diluído na mão de muitos. E esse grupo é o que tem mais importância nas decisões. Se a comunidade não tiver a percepção de que ela faz parte de algo importante, então não existe comunidade.

Aprendi que para uma comunidade crescer são precisos mecanismos sociais de conexão
Comunidade é a percepção que as pessoas envolvidas estão conectadas e relacionadas. O principal mecanismo de conexão social são as mensagens pequenas, opniões em sua maioria, que criam a percepção de que as pessoas se importam com que os outros dizem. Cada membro precisa perceber que é percebido. Mensagens diretas, pessoais e públicas daqueles que administram ou participam da comunidade são um atestado de percepção coletiva. Assim as pessoas se sentem parte do coletivo. Só assim comunidades se tornam fortes.

Aprendi que a comunidade pode falar mal e pode falar bem
O que importa é a balança. Em comunidades de sucesso, fala-se muito mais bem do que mal. Mas não tem jeito. É impossível agradar 100% a todos. É preciso aprender a lidar com as críticas e evoluir. E ao evoluir as críticas diminuem e a comunidades transcende. Mostrar para a comunidade que você escutou e fez algo a respeito é importante. Valorizar os elogios e respeitar as críticas. Elogios, quando dito pelos membros da comunidade e não pelos administradores, ganham respaudo e proporções incríveis.

Aprendi que moderação é bem-vinda, mas não é imprescindível.
Uma comunidade saudável é auto-regulada. Presenciei casos em que alguns usuários queriam fazer bagunça e a própria comunidade reprimiu, sem necessidade de moderação. Esse é o estado da arte em comunidades auto-reguladas. Comunidades assim não surgem sozinhas. É preciso mostrar o caminho, dar o tom, mostrar como as coisas devem acontecer e deixar a comunidade absorver essas não formalmente deliberadas regras de convívio.

Aprendi que a marca é o que "da liga" nas pessoas que frequentam a comunidade
Uma marca fraca (e não estou falando somente de uma marca de varejo) não consegue prender uma comunidade. O sexy-appeal e o aconchego ajudam a compor a marca de uma comunidade. Se o ambiente for hostil, ninguém fica. Se o ambiente é convidativo, a comunidade cresce. A marca e sua identidade colabora para criar esse ambiente.

Aprendi que diversão é importante
Ninguém é de ferro. Muitos de nós passamos horas na frente do computador trabalhando. Para muitos comunidades online são refúgios, lugares onde é possível descontrair, bater um papo, ver coisas interessantes e rir um pouco. Colocar o ingrediente diversão em uma comunidade é um grande passo para torna-la agradável.

São pessoas afinal
Comunidades são demostrações constantes de emoções pessoais. Da amizade ao carinho. Da alegria a indignação. Esse borbulhar de emoções nos mostra o quanto as relações pessoais são ricas e convidativas, mesmo que nunca tenhamos visto os rostos de alguns amigos.




Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.



Adicionar à: del.icio.us | Rec6 | My Yahoo 2.0
permalink | comentários (13) | trackback (2)
Link para este post:


Trackback Pings

TrackBack URL para esse post:
http://www.fabioseixas.com.br/mt/mt-tb.cgi/403

Quem está linkando O que o Camiseteria.com me ensinou sobre comunidades?:

» O que o Camiseteria.com me ensinou sobre comunidades? de Fabio via Rec6
"Um apanhado de ensinamentos que absorvi administrando uma comunidade online." [Leia mais]

Tracked em agosto 19, 2007 2:35 AM

» O que o Camiseteria.com me ensinou sobre comunidades? de Fabio via Rec6
"Um apanhado de ensinamentos que absorvi administrando uma comunidade online." [Leia mais]

Tracked em agosto 19, 2007 2:35 AM

Comentários

Não sei se estou correto, mas acredito que uma comunidade é uma coisa muito fechada, ou seja, como as pessoas se cadastram na comunidade por se identificar com ela, as pessoas tem a mesma linha de pensamento. Isso limita um pouco a criação de novas idéias.

Errado?

Abs

Postado por: issamu em agosto 19, 2007 8:52 AM


Fábio,
O seu "segredo" de sucesso revelado aqui é um guia inconteste no novo mundo das redes que se forma ao nosso redor. É definitivamente o fim do "eu-futebol-clube". É o fim anunciado de ditaduras de negócio, de ditaduras de relacionamentos, e tudo isso me parece muito bom. Parabéns por desbravar esse caminho e por dividir conosco o seu mapa.
Grande abraço!

Wagner Fontoura

Postado por: Wagner Fontoura em agosto 19, 2007 9:24 AM


Pessoas. A melhor e pior parte de qualquer comunidade.

Sempre pessoas. Isso que coloca graça na coisa. Você, por mais que estude a respeito, nunca sabe qual vai ser a próxima reação de uma pessoa. ;)

Fábio, pedindo como leitor do seu blog, escreve mais sobre a Camiseteria e agora o WeShow. São suas experiências, e não há nada mais legal que ler sobre as experiências das pessoas. =)

Postado por: Rafael Slonik em agosto 19, 2007 10:07 AM


Issamu,

prefiro pensar em comunidades online como uma coisa aberta, apensar de delimitada. Desde que qualquer um possa participar, ela não pode ser considerada fechada.

Acho que qualquer concetração de pessoas ajuda justamente na criação de novas idéias. Não consigo inferir que pessoas na mesma comunidade pensam da mesma forma.

Abs

Postado por: Fabio Seixas em agosto 19, 2007 11:21 AM


Concordo com tudo que foi dito.
E também com a opinião do Wagner.
Pensar em comunidades é realmente transcender, independente da opinião pessoal de cada uma das pessoas. Estamos todos aprendendo uns com mos outros. O coletivo é importante nesse sentido. Aqueles que desejam ser os "únicos inteligentes" são anti-sociais, que por mais que se esforcem não se adequaram à um grupo. Lhes falta a percepção e o senso de que o seu eu individual não será abatido com o grupo. Apenas amadurecerá mais.

Parabéns, Fábio! Pelo discernimento.

E quanto ao que disse o Rafael Slonik: só lamento por ele. Pois cada um tem o público (e o entendimento) que procura.

Postado por: Neto em agosto 19, 2007 12:00 PM


O que o Camiseteria te ensinou sobre a vida. Poético isto.

=)

Postado por: Rafael em agosto 19, 2007 1:24 PM


Também concordo com tudo e mais ainda sobre o tópico de diversão. Se a galera do Camiseteria não fosse tão divertidade, tenho a certeza que a comunidade não seria nem 30% do que é hoje. :)

Postado por: Toninho em agosto 19, 2007 2:02 PM


Eu fiquei chocado quando soube que o Camiseteria faturava R$100 mil por mês.

Agora entendo que se isto acontece é devido à qualidade do negócio. Não só por causa das camisetas e suas estampas, mas também por toda a comunidade que orbita em torno do Camiseteria.

Postado por: marcus em agosto 19, 2007 5:23 PM


Concordo plenamente com tua visão à respeito de comunidade!...tomara que o Issamu abra a cabeça após sua precisa retórica!...e obs:Creio que o Neto se confundiu e mencionou o Rafael ao invés do Issamu!...Grande abraço Brother!...

Postado por: Jéf Plus em agosto 20, 2007 10:04 AM


E quanto ao que o Marcus mencionou ele está correto!...a qualidade do négocio tem como base no fato das camisetas serem de primeira linha e serem avaliadas pelos prórios usuários antes da seleção final!...tornando a marca forte e por consequência a comunidade também!(um ciclo)...e por falar isso vou parar de chatear por aqui Mestre Fábio e voltar lá para o blogbox trocar idéia com a família!...abs!

Postado por: Jéf Plus em agosto 20, 2007 10:33 AM


Muito bom o post, Fábio. Concordo com o Slonik que você deve compartilhar mais com seus leitores experiências de bastidores do Camiseteria e outros projetos. É mais interessante para nós do que os assuntos de sempre do restante da Blogosfera.

Postado por: Walmar Andrade em agosto 21, 2007 9:16 AM


Opa Fábio!
De fato me confundi no comments acima.
Citei o Slonik quando ia citar o Issamu.
Desculpa a correção atrasada.

Na verdade, já vi o trabalho de ambos e gosto deles. O comentário estava apenas baseado no assunto.

Abraço

Postado por: Neto em agosto 23, 2007 4:01 PM


Concordo com o que disse.
Tratar com diversas idades acho que isso dificulta um pouco para os gerenciadores meio que tem uma discursão maior em respectivos assuntos.
Mas é isso ae o camiseteria como vc esta de Parabéns.

Postado por: Everton em outubro 24, 2007 5:50 PM


Comente

Aviso legal:
-Não publico comentários anônimos. "josé", "júnior", "maria" e qualquer nome que não informe claramente quem está fazendo o comentário será considerado anônimo. Seja homem (ou se preferir, tenha peito) e assuma sua posição;

-Se quiser que seu comentário seja publicado, informe claramente algum site que o identifique. Pode ser blog, Twitter, Orkut, Facebook ou qualquer perfil na internet e que, por sua vez, também não seja anônimo;

-Não publico comentários desrespeitosos, com palavras de baixo calão, preconceituosos ou que firam qualquer lei desse país;

-Não publico comentários que aparentam ser meras propagandas ou link building;

-Eu publico críticas, desde que respeitem as regras acima.




Lembrar?

(você pode utilizar algum HTML)


Please enter the security code you see here


   Powered by Movable Type